Arte… momentum….


Arte, reflexo do Momentum…

O denominador comum entre profissionais da área (uma cadeia extensa que vai muito além de quem está em performance no palco), fãs e plateia, em geral, é o que a indústria do entreteni- mento vai ter de reinventar; mesmo quando estiver degraduando para um prumo da crise, o dito novo “normal”, até chegarmos à vacina definitiva, teremos um cenário literalmente de “pós-guerra”, onde deverá se reconstruir uma cena a partir do zero.
A história da odisseia humana é feita de inúmera sucessão de superação de adversidades.
Este momento não é exceção …
Com certeza irá se encontrar maneiras de que o ciclo de retroalimentação artística continue a fluir, pois este é um dos pilares de nosso espécime…
Em termos práticos, vale a pena tomar referência de como algumas outras áreas e mercados estão se posicionando, para encontrar novas formas de óticas e maneiras de se resolver problemas.

Adaptação…
Existem as duas máximas: “ Pedras que rolam não criam limbo”… e ” O tubarão tem milhões de anos de existência como espécime, por nadar constantemente…”
Mais do que nunca nossa capacidade de inovação e adaptação é posta à prova nesta situação extrema que passamos…
Encontrar novas expertises, ferramentaria e formas de resolver problemas de maneira ágil e sucinta se torna vital.
Não adianta só aquela visão romântica de que estamos todos com tempo livre para pesquisar e estudar, pois, sem querer eliminar e relevância destas mesmas, “os boletos chegam” e nossa relevância na sociedade como artistas, instrutores, criadores de conteúdo se fazem vitais…
O ponto óbvio desta questão é saber migrar para o ambiente digital de maneira eficaz.Quem não estava fazendo esta transição teve um forte choque de realidade.
Expertises necessárias para o artista 4.0
1) Possuir perfis e saber trabalhar com as principais mídias sociais, sua linguagem e meandros
2) “Skills” básicos de captação de áudio e vídeo e sua respectiva edição
3) Domínio de aspectos básicos de edição e tratamento de imagem
4) Fluência em mais de uma expertise dentro de sua área (a era do apertador de parafuso acabou… logo, logo até o parafuso some…rs)
Resolver problemas
Uma das principais ferramentas de uso, tanto no universo corporativo, como no mundo da Arte, sendo o ponto de fuga entre as duas, o qual se denominou design thinkin…
Esta ferramenta gerencial tem como princípio a resolução de problemas no intuito de criar soluções a partir de uma análise sistêmica e criativa da relação produto, sistema e cenário.
A atual conjuntura de fatores aponta para um” prato cheio” no intuito de aplicar-se este sistema.
O Som do silêncio…
Tempos únicos… Desafios, um momento onde estamos sendo testados em: “se fizemos nossa lição de casa” e quais serão as maneiras que encontraremos para seguir e avançar mais um degrau como civilização…
Segue um Koan Budista:
Num dia chuvoso, quando estava sentado com um discípulo no salão do templo e ouvindo as gotas d’água batendo suavemente no telhado e no pátio, o mestre Jing-qing perguntou ao outro monge:- “Que som é aquele lá fora? ”
“É a chuva, ” respondeu o monge.O mestre disse: “Ao buscar fora de si mesmo alguma coisa,todos os seres se confundem com os significados.
“Então, ” replicou o discípulo:- “Como deveria eu me sentir em relação ao que percebo, Mestre? ”
O sábio apenas disse:- “Eu sou o barulho da chuva. ”

Márcio Okayama

72245307_2458059727771855_1578113594644496384_n

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>