Biografia


ft1_histNascido em 1971, Márcio Okayama escolheu a música aos 13 anos de idade, desde então se dedica à arte de tocar guitarra e a todo o conhecimento que faz fronteira com seu instrumento. Por mais de vinte anos o guitarrista vem construindo uma carreira plural, trilhando sobre diversos caminhos paralelos; e ao todos ao mesmo tempo.

okacafe

Okayama tocou em todo o circuito paulistano de Rock n’ Roll e Heavy Metal, pisando em palcos que variavam desde o Victoria Pub até o Centro Cultural São Paulo, passando pelo Bourbon Street e pelos extintos Aeroanta e Black Jack com bandas como Anonimato e Electric Shadows (que teve ampla execução na Radio Brasil 2000 FM nos anos 90).

ft2_histAlém de tocar e gravar ao lado de instrumentistas e bandas como Stu Hamm, Mozart Mello, Wander Taffo, Kiko Loureiro, Eterna, Nilton Wood, Rubens Salles, Silas Fernandes, Edu Ardanuy, Sergio Buss, Fickle Pickle, Tempo Livre, Fabio Ribeiro, Blezqui Zatzaz, Raphael Du Valle, Luciano Borba (Twister), Joe Mograbi, Younsen Maia, Luis Sacomã, Max Robert, Raissa Machado, Wilson Ramos, Floriano Villaça, Duca Bellintani, Garden All, Luis Pagoto, Christiano Rocha, Chico Wilcox, Fabio Augusto, Rodrigo Brizzi, Zuzo Moussawer, Alien Groove, Desconstrução Sônica, Hercilio Ramos, Arthur Maia, Luis Caldas , Giba Favery e Ricardinho Paraiso, Emilio Mendonça entre muitos outros, Márcio participou de muitas edições de eventos como Guitar Player Festival, Cover Baixo Festival, Cover Teclado Festival e Modern Drummer Festival.

O professor Okayama – que teve aulas com guitarristas como: Mike Stern, Mozart Mello, Michel Perie e Wesley Caesar – começou a lecionar em 1989, dando aulas particulares, dois anos mais tarde ingressou na Faculdade Carlos Gomes, onde se tornou bacharel em violão erudito desenvolvendo trabalhos de recitais solos e de música de câmara alem de estudar arranjo e musicologia.

ft3_histEm 1997 foi convidado por Wander Taffo para integrar o time da EM&T, escola na qual, além de ajudar na elaboração do programa didático, lecionar Fusion e Rock, acumula a função de coordenador do curso on line.

Na qualidade de guitarrista e professor, Márcio Okayama iniciou sua duradoura relação com a mídia especializada, sendo convidado pela ‘Cover Guitar’ para trabalhar como transcriber e colunista na equipe da revista em 1996.

Mais tarde trabalhou como colunista e editor técnico da ‘Guitar Player’(onde ainda assina varias colaborações), além ter sido colaborador assíduo de outras publicações como o ‘Guitar Class’ e o ‘Tok para quem Toka’ e portais como o Território da Musica e Abiba.

Dentro de sua performance didática, tem atuado nas edições da Expomusic desde 1994, representando diversas marcas de efeitos, guitarras, pedais e acessórios que fizeram parceria de endorsement com o músico.

Uma outra faceta de Okayama, definitivamente não menos importante, é a produção artística em trabalhos como Kadu Gouvêa (1995), “Banda Santuario” (2002), Chasing Fear (2003), Desconstrução Sônica (2004) “Lagartus” (2006) “CavernaLeste” (2007), entre outros.

Além disso, Márcio é produtor de trilhas sonoras desde 2002, tendo produzido diversas vinhetas para rádios.

ft4_histUma das particularidades que definem o guitarrista é a sua ligação com a Música Étnica e o New Age. Márcio já trabalhou com musicalização de Encontros e Palestras sobre Cromoterapia, Cura Holística e outros eventos de cunho metafísico.

Sua pesquisa étnica fez também com que ele lançasse o livro “Escalas Exóticas”, no qual mostra a utilização de frases e escalas oriundas da música oriental.

Como guitarrista e produtor, Okayama já participou de mais de 25 discos, entre eles o “G.U.I.T.A.R”, uma coletânea com os principais nomes da EM&T; “Cromato” um projeto New Age produzido e composto por Márcio Okayama que teve presença marcante na ‘Rádio Mundial’ – inclusive tendo uma das faixas aproveitadas para a vinheta de abertura no programa Momento da Nova Era; e sua participação no disco do “Eterna” Ephifany”, que repercutiu no exterior e lhe rendeu uma excelente crítica no site ‘Gospel Maniac’;tem sido destaque também em sites estrangeiros como o inglês “Truth in Shredin” e o japonês “We are funky chicken”

Em 2006 o guitarrista lançou seu primeiro disco solo, “Márcio Okayama”, com 11 composições inéditas nas quais se cruzam o Fusion e o Rock sob um tempero oriental e étnico. O álbum foi eleito o lançamento do ano pelo site ‘Tocando Guitarra’, além de ceder uma faixa para o filme ”SP – 32”, sobre a revolução constitucionalista.

Atualmente, Okayama tem oferecido clinicas e workshops pelo Brasil, além de continuar com suas aulas particulares e no EM&T. Márcio também está finalizando dois discos solos de uma só vez! O poderoso “Poemas sonoros vindo do Caos” estabelece uma ponte com o álbum “Márcio Okayama”, sendo, de certa forma, uma conseqüência deste primeiro trabalho solo. “Zen Garden” é uma concretização de sua veia World Music e fruto de sua pesquisa sobre o universo da musica étnica oriental.

Márcio Okayama conta com apoio dos pedais de efeito Nux, guitarras Seizi, Edmar Luighi Lutheria e acessórios Palhetas On Line

 

11777339_983934061629087_810864171_o         okajaguar  

 

Citações de amigos

“Marcio has been one of the best musicians I have ever met. Not only because of his skills and proven experience, but mainly because Marcio is a true professional”.
Joey Gross Brown

“Marcio is an excellent musician and just a great guy. When he steps inside the recording room, he brings optimism, energy and abundant talent”.
Andre Cortada (produtor Ultra Sônica)

“Hey Marcio, your guitar playing sounds great, nice tones and feel! All the best bro, Coop”.
Marc Cooper / Professor de guitarra , autor de métodos e produtor canadense

“He´s good and plays from the heart…”
Mike Stern (renomado guitarrista de fusion norte americano, side man de Miles Davis)

“Marcio é um desses caras em que o conhecimento parece não ter fim.Sua familiaridade com a música, no sentido mais amplo, espanta e toma total atenção do espectador”
Guia de guitarra do Sobresites

“Thanks for playing with me… you have a nice feel”
Stu Hamm (baixista de Steve Vai e Joe Satriani)

“Marcio Okayama mostra belas melodias em sons introspectivos”
Regis Tadeu ( Editor revista Cover Guitarra)

“Marcio Okayama possui domínio de palco e versatilidade”
Henrique Inglês de Sousa (revista Guitar Player)

“Um novo trabalho com a grife do guitarrista Marcio Okayama é uma garantia de qualidade, afinal seu trabalho é reconhecido por todos”
Lico Navarro (Território da Música)

“Vc toca para c….”
Jr Tolstoi (guitarrista do Lenine)

“Fusão interessante que vc criou com o teu som. Boa sorte cara!”
Christiaan Oyens ( produtor de Zelia Duncan e Lulu Santos)

“Great Playing!”
Rob Johnson (guitarrista norte-americano)

“Sonzão de guitarra!”
Fernando Caneca ( guitarrista da Marisa Montes e Ivan Lins)

Compliment on your inspiring music!
Liu Fang (Instrumentista Chinesa de renome mundial)

“Parabéns pelo disco! Grande album!”
Marcio Falchet (artista solo)

“Sem sombra de dúvida o lançamento instrumental do ano(2006), surpreende pelo extremo bom gosto na escolha de timbres, pela versatilidade, e pelas idéias geniais. O CD foge da mesmice e da pirotecnia vazia”
Site Tocando Guitarra

“Sua linguagem musical e suas idéias de composição são sofisticadas mesmo quando utiliza elementos básicos para se expressar.

Bruce Lee transformava qualquer coisa que estivesse em sua mão em uma arma mortal. Marcio transforma uma simples combinação musical em obra de arte…..”
Edilson Horneaux (guia SobreSites)

“Parabéns pela originalidade das composições pela abordagem inusitada e timbres belíssimos!!!!”
Sergio Serra (Ultraje a Rigor)

“Um CD com personalidade e extremo bom gosto! Vou furar de tanto ouvir!”
Daril Parisi (artista solo, Platina, Produtor)

“I love your music on my tribute album”
Jason Becker

oka_biblio1

“Fui aluno no ano de 1990 e o sujeito já era uma fera… agora é uma lenda! Domo Arigatô por me fazer amar a música e tentar tocá-la DECENTEMENTE! Fora o talento musical, trata-se de um ser iluminado, cordial, divertido e sem frescuras… ter aula com ele é como bater papo sobre música com um amigo! BANZAI!”

Gean Marco Furlan‎